EXERCÍCIO AERÓBICO REDUZ O RISCO CARDIOMETABÓLICO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES OBESOS

Quantas vezes por semana são necessários de treinamento resistido para melhora da qualidade do sono?
07/10/2017
Treino HIIT melhora indicadores Cognitivos em Idosos Inativos?
12/10/2017
Exibir tudo

O artigo de hoje intitulado “Effects of aerobic, resistance, and combined exercise training on insulin resistance markers in overweight or obese children and adolescents: A systematic review and meta-analysis que traduzido para o português é: “Efeito do exercício aeróbico, resistido e combinado nos marcadores de resistência à insulina em crianças e adolescentes com excesso de peso e obesas: Estudo de revisão sistemática e de meta-analise”. O artigo foi publicado por um grupo de pesquisadores brasileiros da Universidade Federal do Rio Grande do Sul na Preventive Medicine (2016).

O primeiro ponto que gostaria de destacar é que o excesso de peso e obesidade é considerado um dos maiores problemas de saúde pública em função do excesso de peso e obesidade estar fortemente associado com o aumento do risco de alterações cardiometabólicas como Hipertensão Arterial, Dislipidemias e Resistência à Insulina que leva ao desenvolvimento de Doenças Crônicas. E, acredite, as crianças e adolescentes não estão livres desse risco, justamente porque o fator causal nesse grupo não é, necessariamente a idade, mas sim o excesso de peso e obesidade.

Nesse sentido, o comportamento sedentário [atividades de baixo gasto calórico como por exemplo, ficar sentado] é, sem dúvida nenhuma, um dos principais fatores desencadeantes do excesso de peso e obesidade em crianças e adolescentes. Então a sequência de eventos desencadeantes das alterações cardiometabólicas é: prática de atividade física diária baixa; maior tempo gasto em atividades sedentárias [ficar sentado assistindo TV, jogando vídeo game, utilizando o celular, dentre outros]; aumento da adiposidade corporal; alterações cardiometabólicas; desenvolvimento e instalação de Doenças Crônicas como o Diabetes Tipo 2 e outras.

Com o excesso de peso e obesidade, também é observado um aumento dos níveis circulantes de insulina em jejum e da resistência à insulina nos tecidos periféricos. Por outro lado, a prática de exercício aeróbico está fortemente associada à diminuição dos níveis circulantes de insulina em jejum e também da resistência à insulina. Foi exatamente isso que demonstrou o estudo de meta-análise apresentado hoje!

O estudo demonstrou que à diminuição dos níveis circulantes de insulina em jejum e também da resistência à insulina em crianças e adolescentes com excesso de peso e obesos ocorreu após 8 semanas de exercício aeróbico e não foi observado o mesmo fenômeno para o exercício resistido ou combinado. Esses resultados indicam a importância da prática de exercício aeróbico na prevenção ou atraso no desenvolvimento de desordens cardiometabólicas e Diabetes Tipo 2 em crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade.             Agora, atente para a seguinte questão: a prática de exercício resistido ou combinado não apresentou melhora significativa à diminuição dos níveis circulantes de insulina em jejum e também da resistência à insulina. Isso significa que esses modelos de exercício não são eficientes? De forma alguma! Os autores do trabalho justificam esse resultado baseado na BAIXA QUALIDADE METODOLÓGICA dos estudos com esses modelos de treino em relação aos estudos com o exercício aeróbico! Dessa forma, não é que o exercício resistido ou combinado não é eficiente para crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade, mas sim que os estudos selecionados para essa meta-analise são de baixa qualidade metodológica. A metodologia do estudo é que é ruim e não necessariamente o exercício!

Para finalizar, gostaria de deixar 2 sugestões: 1) Vamos ler mais artigos de forma crítica para aprender cada vez mais e 2) Vamos estimular as crianças e adolescentes a pratica de exercício, pois a cada ano, mais e mais crianças e adolescentes estão entrando na faixa de classificação de excesso de peso e obesidade.

Portanto, na escola, na academia ou em qualquer outro lugar, o Profissional de Educação Física deve ser um agente estimulador para a prática de exercício regular. Grande abraço à todos e ótima semana.

Os comentários estão encerrados.