SINAIS PSICOLÓGICOS PODEM INDICAR UM POSSÍVEL OVERREACHING OU OVERTRAINING?

Qual a importância do treinamento resistido para o emagrecimento?
26/05/2017
FORÇA MUSCULAR É FUNDAMENTAL NA VIDA DOS IDOSOS?
03/06/2017
Exibir tudo

Olá pessoal, espero que todos estejam bem! Hoje estou iniciando mais uma rodada do quadro “Acertando os Conceitos”. Todas as quintas feiras às 15 horas, faço um post para explicar um CONCEITO da área da fisiologia do exercício e do treinamento. Meu objetivo com esse quadro é disponibilizar para todos os meus seguidores uma espécie de glossário para uma consulta rápida. Muitas vezes, quando estamos trabalhando ou estudando, podem surgir dúvidas sobre diversos conceitos. Com esse glossário, você poderá consultar os conceitos aqui descritos quantas vezes você quiser! Então continue acompanhando o Viajando pela Fisiologia.

Na semana passada, comentei sobre os principais sinais fisiológicos que poderiam indicar um possível quadro de OVERREACHING ou OVERTRAINING. Hoje, gostaria de apontar alguns dos possíveis SINAIS PSICOLÓGICOS que podem ser observados durante o processo de instalação das adaptações crônicas negativas. Durante a modulação de um processo adaptativo crônico negativo, podem ocorrer alterações PSICOFISIOLÓGICAS que podendo criar reflexos em variáveis PSICOLÓGICAS resultando em alterações detectáveis no padrão de HUMOR e no COMPORTAMENTO.

 

Veja abaixo alguns dos principais sinais psicológicos e comportamentais relatados na literatura:

 

  • Estresse Emocional: pode ser caracterizado por sentimentos de incerteza e instabilidade para controle de emoções e atenção.
  • Sentimento de Raiva: caracterizado por sentimentos de hostis a partir de estados de humor associados à antipatia em relação as outras pessoas e a si mesmo. Estado emocional que varia de sentimentos de leve irritação até a cólera associada a estímulos do sistema nervoso autônomo;
  • Desânimo e Depressão: é caracterizado por um estado depressivo, indicando humor deprimido. Comumente surgem sentimentos como autovalorização negativa, isolamento emocional, tristeza sem explicação aparente, dificuldade de adaptação, depreciação ou autoimagem negativa;
  • Fadiga Crônica: caracterizado por esgotamento generalizado, apatia e nível de energia abaixo do necessário. Os sintomas mais comuns são: diminuição gradativa dos níveis de atenção, concentração e memória; comumente apresenta distúrbios de humor, irritabilidade e de sono, resultando em cansaço físico e mental generalizado.

 

Esses são apenas alguns dos principais SINAIS PSICOLÓGICOS que podem surgir durante a instalação de um processo adaptativo crônico negativo. Mais uma vez, vou insistir nesse ponto! Se você acha que esses sinais acontecem apenas em atletas de alto rendimento, você está enganado! Esses sinais podem acontecer em seus alunos que frequentam a academia, o estúdio e até mesmo as aulas de personal!

Eu já sei que você vai me perguntar: “como eu posso então, na academia, identificar e entender se esses sinais estão acontecendo com meu aluno (a)?”. Por dois métodos distintos! Vamos ao primeiro método chamado de OBSERVAÇÃO DIRETA. Muitas vezes, em nossa atuação profissional, observamos mais os diversos tipos de conteúdos disponíveis no nosso celular do que o comportamento de nossos alunos! Mudanças bruscas de comportamento e estado de humor habitual que persistem, pode ser um indicativo! Então, que tal ficar mais atento ao comportamento de seus alunos? O segundo método, tão interessante quanto o primeiro, é a famosa “Escala de Humor de Brunel (BRUMS), que foi desenvolvida para possibilitar uma rápida mensuração do estado de humor de pessoas adultas e em adolescentes. O BRUMS é um questionário que contém 24 indicadores simples de humor, como as sensações de raiva, disposição, nervosismo e insatisfação que são perceptíveis pelo indivíduo que está sendo avaliado que pode ser aplicado em seus alunos. Como um dos benefícios da prática regular de exercício é a melhora das variáveis psicológicas, isso poderia ser detectado por esse instrumento.

Então, já pensou em observar um pouco mais com seus alunos (as)? Já pensou em aprender como utilizar na prática o BRUMS? Além de demonstrar preocupação com o estado geral do aluno (a), você poderá tentar entender e, quem sabe, evitar uma adaptação crônica negativa!

Espero que você tenha gostado desse conteúdo! Por favor, me ajude a divulgar o Viajando pela Fisiologia, compartilhando essa informação com seus amigos e amigas.

 

Grande abraço a todos e ótima semana!

Os comentários estão encerrados.